• 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17
  • 18
  • 19

Pedala Cão O Cicloturismo que ajuda

pedalacao

Pedala Cão é o novo projeto do Grupo Vale Boa Ventura, um evento de cicloturismo com Objetivo de arrecadar doações de ração para abrigos de cães e Gatos. O Evento esta programado para o Mês de Outubro na Cidade de Gaspar. Se sua empresa quer ser um apoiador desta ação entre em contato pelo email Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Apoiadores: Loja IN SHOCK e Mercado São Cristovão.

Cicloturismo e os cães

No cicloturismo partilhamos de algo lindo relacionado a natureza e a ligação Humana, mas não podemos esquecer dos “contrastes” Animais abandonados e passando fome que nos deparamos muitas vezes pelo caminho. 
Por este motivo nasce no mês de maio o 1° Pedala Cão, com intuito de fortalecer esta corrente de ajuda a instituições ou grupos que efetuam ações de ajudas aos cães e Gatos abandonados. 
O grupo Vale Boa ventura elegeu a definição de alguns ataques que “sofremos” nas ciclorrotas e em eventuais passeios.

Principais ataques de cães aos Cicloturistas

  • 1º) ATAQUE FALSO: ocorre quando o(s) cachorro(s) geralmente de area rural avista algum "intruso" e deseja mostrar serviço ao dono. Então ele corre, late, mas não chega a morder, na verdade ele quer mostrar sua utilidade ao seu dono, quer mostrar que guarda bem o seu território. Na maioria das vezes tais ataques são perpetrados por cães SRD (vira-latas).
  • 2º) MANIFESTAÇÃO RUIDOSA DE ALEGRIA: acontece quando o cachorro avista um "intruso" e corre atrás, latindo, por pura diversão e felicidade. Na grande maioria dos casos ocorre com cães de zonas rurais em locais (sítios,fazendas, estradas) onde poucas pessoas circulam a pé ou de bicicleta.
  • 3º) ATAQUE VERDADEIRO: ocorre tanto em área urbana quanto rural, não importando a raça. Geralmente estes cães atacam carros, motos, bicicletas e transeuntes sendo que, por motivos óbvios, os dois últimos grupos são os que tem maior probabilidade de serem mordidos.

Como ajudar se não tenho dinheiro sobrando.

Evidenciamos neste artigos algumas forma de ajuda que vc pode exercer sem gastar dinheiro.
Muitos abrigos precisam de doações, mas para quem não está com dinheiro sobrando, existem outras formas de ajudar
Quando um animal é resgatado das ruas, geralmente é por alguém que tem ou trabalha em um abrigo. Então, este animal fica esperando pela adoção, mas até lá, precisa de cuidados como alimentação, medicação, higiene, etc. Essas tarefas geram gastos, mas nem sempre o abrigo pode arcar com tudo, por isso, é comum que eles peçam doações. Se você quer ajudar um abrigo, mas está com pouco dinheiro, veja algumas dicas para fazer um serviço voluntário de forma eficiente:
Conheça as necessidades do abrigo
Informe-se sobre a rotina do lugar, o tamanho da equipe, o que eles têm e do que precisam. Assim você pode planejar um meio de providenciar o que falta.

Faça propaganda

Compartilhe a página do abrigo e as fotos dos animais para adoção nas redes sociais; distribua folhetos (de preferência feitos em papel reciclado) em pet shops, clínicas veterinárias e outros locais, de modo que possam chegar a pessoas que gostam de animais; leve seus amigos para conhecer o abrigo pessoalmente e crie mais formas de tornar o local conhecido.
Transporte os animais
Muitas vezes os animais precisam ser levados ao veterinário, mas o abrigo não tem um transporte adequado para eles e o “táxi-dog” é caro. Você pode se oferecer para levá-los, caso tenha tempo livre.
Leve os animais para socializar
Um animal com medo de desconhecidos pode fugir ou ser agressivo, ou seja, ter atitudes indesejadas. Brincar com ele e levá-lo para passear são formas de apresentar coisas novas para que ele possa se acostumar e se comportar bem diante de situações pelas quais ele passará no futuro, como a convivência com crianças e outros animais.

Ajude a coletar doações

De campanhas virtuais a pedidos em fábricas, você pode criar meios de ganhar coisas que o abrigo precisa, como ração, toalhas, entre outras. Organizar um mutirão por meio de grupos em redes sociais pode ser um bom caminho. Uma fábrica pode doar objetos com pequenos defeitos, como uma caminha com o tecido manchado, um brinquedo que saiu “torto”, enfim, coisas que não poderiam ser vendidas por estarem fora do padrão e acabariam no lixo. Basta procurar e você encontrará pessoas dispostas a ajudar.
O grupo Vale Boa ventura está a disposição para ajudar e divulgar ações e colaboração das empresas que contribuem com estas ações.

Use seu talento

Ajude com os bazares beneficentes fazendo upcycle de objetos que não servem mais e transformando em coisas legais pelas quais as pessoas podem se interessar. Você também pode oferecer serviços (gratuitamente) de acordo com sua profissão, por exemplo: um advogado pode auxiliar a rever contratos; um economista pode sugerir formas de organizar as doações; um fotógrafo pode montar calendários para vender e arrecadar fundos para o abrigo. Existem muitos serviços que podem ajudar.
Use de sua imaginação para ajudar e arrecadar fundos
Em seu aniversário, você pode pedir doações de presente. Se for casar, converse com seu(a) noivo(a) sobre pedir doações para o abrigo como presente de casamento. Você também pode dar outras festas e pedir a colaboração dos convidados. No trabalho, veja se é possível deixar um pote em um lugar onde as pessoas deixem pequenas doações de vez em quando. Na escola, peça para a professora falar para a turma sobre a importância de ajudar os animais abandonados e falar sobre o abrigo (só não é permitido pedir doações diretamente às crianças. A ideia aqui é que elas falem sobre o assunto em casa e os pais decidam colaborar).


Empresa Apoiadora do Projeto Pedala Câo.

 


 
inshock   
LOJA  IN S.H.O.C.K  

 

 

Enquete

Qual o morro mais difícil de Blumenau ?
giassi-em-jpg.jpg
radix-jpg.jpg
radix-jpg.jpg
radix-jpg.jpg