• 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17

Conhecer Pedalando: Experiências em Vancouver e Região

Um dos objetivos do Projeto Conhecer Pedalando é conhecer lugares, belezas naturais, pessoas e culturas, com intuito não apenas de conhecer, mas de divulgar e disseminar as experiências e vivências obtida nas pretendidas buscas.

Buscamos conhecer o proposto por meio da bicicleta quando possível, pois acreditamos que além de seus inúmeros benefícios ambientais e sociais, a mesma também oferece uma experiência e relação com os lugares e as pessoas de forma única e diferenciada dos meios de transportes motorizados. Diante do exposto, segue o relato da experiência e percepção que obtive através de uma vivência em terras canadenses, das quais explorei por meio da bicicleta, ou seja, pedalando, em três semanas do mês de julho de 2016.                            

Boa parte desta experiência foi compartilhada de forma mais detalhada através de uma série de matérias, fotos e vídeos publicados nos meios de divulgação do projeto. As matérias poderão ser acessadas por meio dos links anunciados no decorrer desta matéria, da qual tem a proposta de apresentar e destacar de forma resumida algumas das experiências e lugares que conhecemos pedalando, mais especificamente a respeito da metrópole de Vancouver, do belo e famoso Stanley Park, dos principais parques dos municípios North Vancouver e West Vancouver, das montanhas Grouse Montain, Cypress Montain e o Seymour Mount e da cidade de Whistler, local referência para a prática de Moutain Bike e Snowboard no planeta.

                                      

Primeiramente, quero deixar meus sinceros agradecimentos para as pessoas que possibilitaram e viabilizaram esta experiência, da qual infelizmente ainda é restrita, sendo um privilégio para poucas pessoas, ainda mais quando estas são naturais de países ditos subdesenvolvidos. Países estes sendo subdesenvolvidos devido a terem sido e na maioria ainda sendo explorados pelos outros ditos países desenvolvidos.

No Canadá busquei explorar as belezas naturais e os parques das regiões próximas de Vancouver (North Vancouver e West Vancouver) e de Whistler; conhecer a infraestrutura referente à mobilidade ciclística da cidade de Vancouver, onde é referência no que diz respeito a este modal no Canadá, possuindo os menores índices de acidente do país; conhecer as famosas trilhas para mountain bikes da região; e vivenciar a cultura e rotina do local.

Vancouver apresenta um modelo diferenciado de cidade, que infelizmente é tratado como diferente quando comparado à realidade da maioria das cidades brasileiras e do planeta. Um modelo que trás vários benefícios para as pessoas que lá vivem, com políticas que possibilitam maior acesso de lazer e bem estar para a população, tornando a cidade um local bom e agradável de viver. O que é demonstrado também através dos prêmios e do reconhecimento que a cidade possui, e ainda mais por ser eleita mais que uma vez como a melhor cidade para se caminhar do Canadá, assim como eleita a metrópole mais habitável para se viver de acordo com a revista The Economist.

                   

No entanto, não são apenas bons exemplos e pontos positivos que descrevem Vancouver, há também vários pontos negativos e problemas, muitos deles inerentes ao sistema político-econômico global. Porém, destaco aqui o exemplo de uma cidade melhor para as pessoas, com políticas públicas que deveriam ser especialmente prioridade para a maioria dos gestores públicos municipais, que na maioria das vezes servem a outros interesses (econômicos) e não ao bem estar da população. 

Como dito anteriormente, a grande Vancouver (área metropolitana que engloba as cidades satélites próximas) terceira maior metrópole do Canadá e a maior do oeste canadense, é uma referência no que diz respeito à mobilidade urbana no Canadá. A metrópole possui uma grande e exemplar infraestrutura para ciclistas e pedestres, da qual é concedida através de investimentos por meio de políticas publicas em calçadas, ciclovias, bicicletários, transporte público de qualidade e educação no trânsito. Para incentivar a população deixar de usar o transporte motorizado individual em prol de meios mais sustentáveis são ofertadas calçadas largas e atraentes em meio a diversos atrativos que a rua pode oferecer (arborização, pavimentação, praças, vitrines, acessibilidade); mais de 530 quilômetros de rotas cicláveis em uma expansão territorial mais de cinco vezes menor que do que a da cidade do Rio de Janeiro; e também um sistema de transporte público com diversidade de modais e interligação destes, tanto para pedestres como para ciclistas, pois todos os modais (ônibus, trens, metrô, barcos) possuem espaços destinados para as bicicletas.

Foi pedalando que explorei e conheci parte da infraestrutura urbana mencionada, que contempla também questões como o acesso a áreas de lazer, cultura, esporte, educação, saúde... Que fazem parte de um todo que refletem em um modelo e proposta de cidade. Pedalei por diversos caminhos, rotas para ciclistas, ruas centrais, rotas em meio de parques, subúrbios e áreas residenciais e comerciais de diferentes bairros e cidades que englobam a grande Vancouver. Por meio desta experiência foi possível perceber os vários benefícios de uma gestão e políticas públicas que valorizam o bem estar da população, do qual é representado pelo modelo de mobilidade urbana, privilegiando vários modais e principalmente transportes ativos, pelas várias áreas verdes e de conservação, pelas várias ofertas de lazer, cultura e esporte, através dos vários parques urbanos, praças, locais de convivência, centros comunitários e eventos culturais. Todas estas ofertas refletem em uma maior qualidade de vida para a população e para cidade, pois também são exemplos para reduzir os grandes impactos ambientais que todas as metrópoles provocam.  Mais informações a respeito de minha percepção da cidade de Vancouver referente à sua proposta, mobilidade e infraestrutura urbana, e a divulgação de algumas praias, parques e demais atrativos da cidade podem ser conferidas na seguinte matéria, http://conhecerpedalando.wixsite.com/projeto/single-post/2016/08/05/Conhecer-Pedalando-A-cidade-de-Vancouver.

            

Entre os vários parque urbanos existentes em Vancouver, nessa matéria destacarei o maior e o mais famoso deles, o Stanley Park, eleito muitas vezes como um dos melhores e maiores parques urbanos do mundo. O parque é encantador e também um exemplo de parque e espaço público de lazer para as pessoas, do qual deveria existir em todas as cidades do mundo. Exemplos como estes tendem a trazer vários benefícios para qualidade de vida da população local, porém muitas das vezes não são prioridades dos gestores públicos, dos quais como dito anteriormente servem a outros interesses e não ao bem estar do povo.  Menciono o poder público devido este ser o que possui a maior responsabilidade de garantir lazer, cultura, esporte, e demais direitos sociais para o povo. E felizmente para a população de Vancouver o poder público parece garantir parte destes direitos, pois o Stanley não é apenas o único parque da cidade. Há muitos outros parques, não do mesmo porte que do grande Stanley, mas que não deixam a desejar em relação à infraestrutura e oferta de lazer.

O Stanley Park é uma das principais referências e cartões postais da cidade de Vancouver, como já mencionado é reconhecido mundialmente, principalmente por suas belezas e atrações. O parque é uma ótima opção de lazer e recreação para a população, privilegiando caminhantes, ciclistas, patinadores, crianças, banhistas e muitos outros diante de suas várias atrações. Mais informações sobre esse incrível parque pode ser acessadas na seguinte matéria, http://conhecerpedalando.wixsite.com/projeto/single-post/2016/07/31/Conhecer-Pedalando-O-grande-e-belo-Stanley-Park-Vancouver . 

             

Na região metropolitana de Vancouver também há vários parques ecológicos, diferentes dos parques urbanos citados. Esses parques se concentram nos municípios de North Vancouver e West Vancouver, onde ambos fazem parte da metrópole. São vários os parques ecológicos presentes na referida região, o Capilano Suspension Bridge Park, o Lighthouse Park, o Lynn Canyon Park, dentre outros parques e atrativos naturais, como as montanhas Grouse Montain, Cypress Montain e o Seymour Mount. Os parques e as montanhas são mais um dos pontos que fazem a região ser encantadora e boa para quem lá reside, e também mais uma entre tantas outras opções de lazer e bem estar da região. 

Visitar os referidos parques e montanhas era um desejo que felizmente pude realizar, foi uma tremenda satisfação estar presente e tirar proveito das diversas belezas e ambientes naturais que tais locais oferecem. Ainda mais gratificante foi poder ter visitado todos os lugares que aqui estão sendo divulgados da forma mais simples e harmoniosa possível, ou seja, pedalando. Alem de ter usufruído da experiência e energia que vivenciei nos locais de destino (parques, reservas e montanhas), usufruí também do caminho até os determinados destinos, superando desafios e conhecendo pedalando novas ruas, novas praças, novas trilhas, novas pessoas, novas experiências e sensações.  

                  

Nas montanhas e nos parques o meu meio de explorar e experimentar as belezas e energias dos ambientes foi também através de caminhadas (Hiking), pelas várias trilhas e caminhos que os locais disponibilizam. As montanhas e parques aqui divulgados oferecem uma ótima estrutura para os visitantes, por vezes até exagerada como no caso da Grouse Mountain e do Capilano Suspension Bridge Park, porém mais adequadas e essenciais na Cypress Mountain, Seymour Mount e demais parques. A boa estrutura é reflexo das leis e políticas públicas presentes na província de British Columbia (BC), da qual é a província do Canadá que possui mais parques e reservas naturais. Lembrando que com exceção da Grouse Mountain e do Capilano Suspension Bridge Park, os demais parques e reservas naturais citados são de acesso gratuito e de administração pública. Mais informações sobre os parques e montanhas podem ser conferidas nos links, http://conhecerpedalando.wixsite.com/projeto/single-post/2016/09/01/Conhecer-Pedalando-Parques-ecol%C3%B3gicas-de-North-Vancouver-e-West-Vancouver-Parte-1 , http://conhecerpedalando.wixsite.com/projeto/single-post/2016/09/19/Conhecer-Pedalando-Parques-ecol%C3%B3gicas-de-North-Vancouver-e-West-Vancouver-Parte-2 e http://conhecerpedalando.wixsite.com/projeto/single-post/2016/10/07/Conhecer-Pedalando-As-Montanhas-de-North-Vancouver-e-West-Vancouver .

                            

 

Nos últimos dias de minha experiência no Canadá tive o prazer e a oportunidade de conhecer também um pouco de Whistler, como já dito anteriormente uma referência no planeta para a prática de Moutain Bike no verão e de Snowboard no inverno. Whistler fica aproximadamente a 130km de Vancouver, infelizmente devido a um pequeno acidente que sofri não pude ir pedalando, mas levei a bicicleta no ônibus para conhecer Whistler pedalando. E no caminho até lá mesmo que de ônibus pude apreciar um pouco das lindas paisagens que a rodovia oferece, com vistas para montanhas, lagos, o oceano e florestas.

Em Whistler conheci pedalando vários dos atrativos que esse magnífico lugar oferece, principalmente para quem vai pedalando, pois são mais de 300km de trilhas, ciclovias e rotas para ciclistas. Entre as rotas mais famosas e utilizadas está a Trail Valley, um percurso de 40km que perpassa por vários lagos, florestas, parques e bairros de Whistler. Além da Trail Valley, conheci pedalando vários outros caminhos e trilhas de Mountain Bike, dos quais são interligados, e também pedalei em partes das trilhas da ainda em construção “Sea to Sky Trail”, uma rota que quando concluída oferecerá 180km de trilhas que ligarão e darão acesso a outras comunidades locais. 

         

Para concluir minha passagem por Whistler visitei as famosas montanhas Whistler Moutain e Blackcomb, das quais possuem a maior estação de esqui da América do Norte e também o melhor Bike Park do mundo, o Whistler Mountain Bike Park, com várias trilhas e rotas de diferentes níveis de dificuldades. As duas montanhas são interligadas por um teleférico que oportuniza uma incrível viagem de acesso para as várias trilhas e atrações existentes nessas duas belas montanhas. Algumas imagens das atrações aqui divulgadas podem ser conferidas no álbum https://www.facebook.com/media/set/?set=a.1179693295468432.1073741862.764066890364410&type=1&l=1e9bacb90d,     e no nosso canal, https://www.youtube.com/playlist?list=PLrwiQOTBXiTrmoJLreiJWRcumaDN-ravI. E muitas outras informações sobre Whistler podem ser encontradas na página oficial da cidade www.whistler.com.  

        

E para concluir essa matéria, declaro que foi uma experiência interessante e enriquecedora conhecer uma pequena parte de uma determinada região do referido país, onde possui diversos pontos positivos e qualidades, mas também tem suas mazelas. Vivenciei um choque de realidades quando comparadas a diversas realidades do nosso Brasil, ao modelo de nossas cidades, e ao modo e condição de vida das pessoas, das quais no Canadá é reflexo de uma política mais inclusiva e de bem estar social (educação, saúde, lazer, cultura...), que proporciona mais acessos e direitos para a população, mas, contudo ainda por vezes é excludente e desigual. Não vejo como muitas pessoas veem como um outro mundo, outra realidade, ou como modelo perfeito, mas sim como um modelo que está mais próximo do ideal, porém ainda distante. Também foi um enriquecimento cultural presenciar um pouco da cultura e rotina do local e uma grande realização e satisfação ter usufruído de algumas das belezas naturais da região, como montanhas, praias, parques, trilhas e demais experiências aqui compartilhadas.   

 

Obrigado e até a próxima!

Enquete

Qual o morro mais difícil de Blumenau ?
jack.jpg
jack.jpg
convite-jpg.jpg
jack.jpg