• 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17

Porto Belo e Bombinhas

O litoral catarinense é cheio de histórias e de mistérios. Cada localidade esconde um pedaço desta história e alimenta as lendas em nossa imaginação. Destas histórias, nem tudo é fantasia, nem tudo é realidade. Mas conhecer esta história pedalando é de certa forma participar dos acontecimentos que há muito tempo atrás ocorreram na região.

A coroa portuguesa não dava muita importância para o sul do Brasil na época da colonização, isso acabou despertando o interesse de piratas que usavam estas terras para fugas e abastecimento. De certa forma isso incentivou a colonização açoriana na região no litoral catarinense. Mas não foram só navios piratas e portugueses que disputaram as terras no litoral catarinense, batalhas entre espanhóis, holandeses e franceses também foram registradas por lá.

Um sábado nublado, dia 15 de Outubro de 2016, decidimos fazer um pedal moderado, de curta distância. A rota era fácil e sairíamos de Porto Belo em direção a Bombas, Bombinhas, Mariscal, Canto Grande e Zimbros.
Este é um trecho da rota de ciclotrismo Costa Verde & Mar em Santa Catarina e aconselhamos a fazer este trechinho em mais de um dia para poder conhecer todos os lugares da região. Um dia é pouco para visitar as "prainhas" isoladas, os vilarejos de pescadores, as trilhas, os mirantes, os restaurentes, etc. Para maiores informações sobre a rota verde & mar acesse o site http://www.costaverdemar.com.br/.

ilha portobelo praia do araca caixa daço
Ilha de Porto Belo, Entrada da Praia do Araçá e Enseada do Caixa D'aço

Deixamos o carro no centro da cidade de Porto Belo. Bem na pracinha central. Pracinha daquelas que tem uma igrejinha e tudo. E já em Porto Belo o visitante perderia quase um dia, afinal são quase 400 anos de história. A cidade recebe o nome da grande ilha que beira o litoral. A ilha de Porto Belo é aberta a visitação e tem uma estrutura preparada para receber os visitantes com restaurante, trilhas e até um eco-museu. A ilha é encostada do litoral, na maré baixa até me arriscaria em dizer que pode se chegar lá de pé. Mas para quem não quiser se molhar é só pegar uma escuna para chegar até lá. Você pode conhecer mais detalhes da ilha de Porto Belo acessando o site http://www.ilhadeportobelo.com.br/.

A ilha de Porto Belo é cheia de mistério. Conta-se que os Jesuítas enterraram na ilha uma estátua de um anjo de ouro quando foram expulsos do Brasil no século 19. Muitos já andaram procurando o tesouro, mas até hoje só pistas foram encontradas.

Nosso destino era Bombas e Bombinhas que são duas cidades encostadas em Porto Belo. Apenas um morro separa os dois municípios. Mas uma dica que deixamos aos visitantes é explorar a região da praia do Araçá e Caixa D'Aço em Porto Belo ainda.Uma enseada pequena com águas transparentes e um ótimo lugar para pescar. Conta a história que o almirante português Robert MacDouall no dia 17 de fevereiro de 1777 refugiou-se na enseada para evitar o combate com uma esquadra espanhola de 116 navios comandada por Pedro Cevallos Cortéz y Calderón, que procurou a área sem nada encontrar, seguindo então para a ilha de Santa Catarina.

Subimos o morro de Bombas com tranquilidade, mas deve se ter cuidado pois o acostamento é bem ruim e não há ciclovias no local. Na descida para Bombas você pode parar em um belo mirante com vista para a praia.
Em Bombas a avenida que acompanha a praia conta com ciclovia em todo o percurso. Pedal tranquilo, curtindo o movimento. Pousadas, casas para alugar e restaurantes não faltam. É um disputando o local com o outro.

Atravessamos Bombas e chegamos a Bombinhas que é muito parecido. Podemos dizer que são duas cidades gêmeas. Em Bombinhas as ciclovias não são desenvolvidas então deve se ter mais cuidado em disputar o espaço com os carros. Pedalamos até a praia da sepultura que tem este nome porque era o local onde havia uma sepultura de um escravo que morreu por ali no século passado. No local você pode encontrar algumas empresas que prestam serviço de mergulho submarino. As água da região são transparentes e favorecem a atividade de mergulho livre. No local se formam piscinas naturais e que atraem peixes que podem ser observados pelos visitantes sem precisar mergulhar.

A praia da sepultura tem uma trilha curta que pode ser feita até a ponta do litoral. A trilha é leve, trechos de sombras entre as árvores, trechos por colinas com pastos. A paisagem vale a pena e [e super recomendado.
Ainda em Bombinhas você pode encontrar um camping chamado "retiro dos padres" que é uma boa opção para quem quer acampar. Existem outros campings na região, mas este é o mais conhecido e perto de todos os locais de visitação.

 sepultura trilha   trilha sepultura 
Trilha da Praia da Sepultura

Saímos da Praia da Sepultura com destino a Praia de Mariscal e o trajeto é quase todo asfaltado com estradas bem conservadas. Mariscal é uma das praias de Bombinhas e o nome surgiu em função da grande quantidade de mariscos em seus costões. Com águas muito limpas e ondas de médio porte, é muito procurada pelos surfistas. A vegetação de restinga está preservada pintando de verde toda a sua orla, aproximando o turista à natureza. É indicada para banhos de mar e sol, surf, pesca esportiva e longas caminhadas. Para quem gosta de sossego, Mariscal possui uma estrutura quase que exclusivamente residencial.

Em seguida chegamos a Praia da Tainha que como o próprio nome diz, esta praia é um excelente local para a pesca da tainha durante os meses do inverno. É um refúgio natural em meio a Mata Atlântica, com beleza surpreendente. Possui cerca de 200 metros de extensão. Para que tiver um pouco de fôlego extra é possível subir ao mirante 360 com vista para todas estas pequenas praias. Recomendamos pois a visão é fantástica.

   Mirante Eco 360º A Esquerda Praia De Zimbros A Direita Canto Grande E Mariscal Bombinhas4479  
Eco Mirante 360º

 

Como o nosso pedal era curto partimos logo para a praia de Canto Grande. Por estar localizada em um istmo, com duas praias opostas, seu primeiro nome era Ponta Grande. A partir dos anos 30, ganhou o nome atual, dividindo-se entre Mar de Dentro e Mar de Fora. Esta pequena vila de pescadores e maricultores ainda mantém viva a cultura dos imigrantes do Arquipélago dos Açores, como a tradição do terno de reis e a técnica da pesca artesanal. O centro da Vila fica aos pés do Parque Municipal do Morro do Macaco, o segundo ponto mais alto da cidade que proporciona ao turista uma bela vista da cidade, da Reserva Biológica Marinha do Arvoredo e também das cidades vizinhas como Tijucas, Governador Celso Ramos e Florianópolis. O Mar de Dentro fica no lado oeste da vila, na Baía de Zimbro, é de águas tranquilas, é ponto de partida de muitas pescarias e passeios de barco pela região.

Como estávamos com fome paramos para recarregar a energia comendo algo em uma padaria. Vários mercados abertos e restaurantes pelo caminho. Comida não é o problema pois apesar de ser um vilarejo pequeno a oferta era bem grande.

zimbro    morro zimbros 
Árvore Zimbro e vista da Ilha de Porto Belo na descida do Morro de Zimbros

 

Já na parte final deste nosso pedal, partimos para Zimbros. Foi a primeira praia avistada pelos colonizadores açorianos na península, que encontraram ali o zimbros, planta da família das Pináceas, de cujos frutos aromáticos é feita a bebida alcoólica conhecida por genebra. Daí, o nome da praia. Zimbros é um bairro dotado de ótima infraestrutura. E chegamos ao final de nosso pedal encarando a pate mais difícil do trajeto. Decidimos subir o morro de Zimbros que faria a nossa conexão com o Porto Belo, onde estava nosso carro estacionado. Sentimos uma dificuldade enorme neste final do percurso, pois o morro era muito íngreme, com pedras e areias soltas, muita poeira e curvas sinuosas. Entendemos que devíamos ter feito o percurso "contra", subindo o morro primeiro e fazendo o percurso invertido. Foi muito desgastante e empurramos as bikes sem vergonha de não conseguir pedalar morro acima naquele trecho.

Algumas curvas, muito suor e conquistamos o topo do morro com vista para Porto Belo. Estávamos no fim do percurso. Era só descer até o carro e registrar a experiência. Maiores informações destas praias e atrativos na região de Bombinhas, acessem o site http://turismo.bombinhas.sc.gov.br/.

Informações Complementares

Distância
Tempo Médio
Altitude Acumulada
Altitude Máxima
Dificuldade
35 Km - Aproximadamente
 3 a 4 Horas
555 metros
 155 metros
 nivel dificuldade2
Níveis de Dificuldade
Ponto de Encontro
O que levar?
Horário de Saída
Mapas em KMZ e GPX
Indicado para
Praça central do Porto Belo, ótimo local para estacionar o veículo

bag icon 

 07:00 am

maps icon

car icon trek icon mtb icon

Altimetria
Galeria de Fotos

Enquete

Qual o morro mais difícil de Blumenau ?
convite-jpg.jpg
jack.jpg
radix-jpg.jpg
radix-jpg.jpg